Endodontia


A endodontia é uma especialidade da odontologia que estuda a polpa dentária, o sistema de canais radiculares, os tecidos periapicais e também todas as doenças que possam atingir esse conjunto. O tratamento endodôntico é indicado, principalmente, em casos de cáries profundas, fraturas dentárias e traumas dentários.

O tratamento endodôntico consiste em algumas técnicas que têm o objetivo de restabelecer a normalidade dos tecidos dentais, mantendo a estrutura dura e sem presença de inflamação ou infecção. Sendo assim, o tratamento de canal é apenas uma parte deste procedimento que consiste na remoção do tecido, vivo ou não, da câmara pulpar e do sistema de canais radiculares presente nas raízes.

Conheça as principais técnicas da endodontia, da mais simples até a mais complexa:

Tratamento expectante
É o procedimento mais simples da endodontia e tem o objetivo de proteger o complexo dentina-polpa através da remoção do tecido cariado, preservando a estrutura biológica do estímulo que vem gerando a alteração pulpar.

Curetagem pulpar
Trata-se da remoção superficial da polpa coronária que eventualmente tenha sido exposta durante o tratamento conservador, potencialmente contaminado por microrganismos do meio bucal.

Pulpotomia
Consiste na remoção da polpa presente na câmara pulpar. Neste tratamento, o tecido pulpar, também chamado de canais, é preservado. É indicado para casos em que a lesão inflamatória atingiu apenas uma pequena porção da polpa coronária.

Pulpectomia
Popularmente conhecido como tratamento de canal, esse procedimento consiste em despolpar totalmente o dente, limpar as paredes internas dos canais, modelar e selar, do modo mais hermético possível, o sistema de canais radiculares.

Tratamento cirúrgico
Este é o procedimento mais invasivo e é apenas indicado em casos de falhas anteriores no tratamento endodôntico, em perfurações acidentais, presença de lesões refratárias que não respondem ao tratamento endodôntico convencional.

Qual a durabilidade de um dente restaurado?
Quando tratados de forma adequada, os dentes restaurados podem durar a vida toda. Como ainda é possível o aparecimento de cárie em um dente tratado, uma boa higiene bucal e exames dentários regulares se fazem necessários, a fim de evitar problemas futuros. Como não há mais uma polpa viva que mantenha o dente hidratado, os dentes com raiz tratada podem se tornar quebradiços e mais sujeitos à fratura. Por isso, depois do tratamento, esses dentes merecem um cuidado redobrado.